VT' tinto 2006

Estamos na presença do último vinho provado do produtor PV. Um vinho que vai já na sua terceira edição e sempre com boa receptividade por parte do consumidor.

O ano que não foi famoso, isto apesar de existirem alguns belos vinhos no mercado, e a qualidade dos vinhos ressentiu-se.
Um ano que me faz lembrar da fragilidade do negócio de quem faz vinho, e que muitas vezes nos esquecemos. É cada vez mais um risco calculado, claro está, mas sempre existem condicionantes, tais como os humores do tempo que podem deitar a perder o trabalho de um ano. Mas quando sai uma grande colheita esquecemos tudo o resto, pelo menos nós, os consumidores.
Uma outra vertente de um ano mau, será no que diz respeito ao produto a apresentar ao consumidor e ao preço que devemos apresentá-lo. No Douro, e um pouco por todo o país, os topos de gama saíram praticamente todos uns bons furos abaixo do que nos habituaram e, ao contrário do esperado, os preços mantiveram-se. A primeira questão que deixo é se, mesmo com um ano mau, esses vinhos deveriam sair para o mercado, ou se, pelo contrário, apostariam nas segundas marcas como, por exemplo, se faz em França. Penso ser uma pergunta legítima à qual precisamos de resposta.

Mas voltemos ao vinho. Uma mistura de vinhas velhas, com cerca de 35% e mais 65% de Touriga Nacional. Estagio durante 15 meses em barricas (metade novas e outra metade de 2º ano).
Sai da garrafa com uma cor cereja escura.
Aroma intenso com notas de fruta elegante a lembrar cerejas, ameixas. Esta está muito bem envolvida de chocolate preto e baunilha. Encontramos também flores, com um ligeiro toque floral.
Boca encorpada e com uma boa acidez. Tal como no aroma, mantém a fruta, que nos lembram cerejas e ameixas. Chocolate preto e algumas flores. Final longo e com muito boa complexidade.

Temos aqui um vinho amplo, com boa profundidade e estrutura. Um perfil onde encontramos fruta típica do Douro, mas esta está muito bem enquadrada com a madeira, que está bem integrada, sem marcar demasiado o conjunto. Um belo vinho do Douro, longe da extracção, antes envergando por um caminho mais elegante, seguindo assim o caminho da nova tendência mundial. Gostei bastante. 17,5.
publicado por allaboutwine às 07:28 | link do post