Guardar vinhos

Quem se interessa por isto, pelo prazer do vinho, pelo prazer da prova, sabemos que muitos dos vinhos que compramos, e quase todos eles de colheitas recentes, estão aptos para viver mais uns anos na nossa garrafeira. São vinho que quando novos são muito gulosos, já para não falar nos Porto Vintages, mas que ganham muito em estar uns anos a hibernar.
A questão que coloco neste post é saber como é que os vamos guardar a todos! Salvo exepções, moramos num andar com poucas condições para guardar vinho sem ser na dispensa ou arrecadação. Podemos, claro, comprar um armário climatizado, mas os seus preços e a quantidade de garrafas que queremos guardar resfria-nos logo a ideia. Sendo assim, não temos condições ótimas para a longa guarda de um vinho que nos custou os olhos da cara e que sabemos que irá estar perfeito daqui a 20 anos.
Outra questão é a da paciência. Que é que tem (eu não a tenho!) de guardar um vinho que nos custou 60 euros e que estamos em pulgas para o provar?
Mas a quem me deixa mais confuso é a questão do avolumar das garrafas. Passo a explicar. Com tantas marcas novas a surgir, com as marcas (muitas) que gostamos a sair colheita após colheita, com aquelas que compramos sem provar e sabemos que não está no seu melhor momento e também as guardamos, com aquelas que dizem que o vinho irá estar divinal daqui a 4 anos...
Se quisermos fazer uma garrafeira com 150 vinhos, a este ritmo, passado um ano estamos com 300 garrafas ou mais e pior, sem tempo para bebe-las.
A minha resposta foi a isto foi deixar de comprar vinhos enquanto não vazava um pouco a minha garrafeira. Já tinha vinhos debaixo da cama...
É uma tarefa complicada gerir isto, não é?
publicado por allaboutwine às 05:49 | link do post