Aneto Colheita Tardia branco 2007


A primeira vez deste Colheita Tardia foi em 2005 e logo entrou nas escolhas dos enófilos no que toca a colheitas tardias portugueses. É um dos raros vinhos portugueses que são feitos com os cachos botrytizados e um dos melhores exemplares portugueses neste tipo de vinhos doces.

Francisco Montenegro já nos habituou a vinhos belíssimos, com os seus tintos cheios de qualidade, Douros puros, vinhos de terroir, com os seus brancos elegantes, complexos e cheios de frescura. Os colheita tardia não podiam fugir à regra, com vinhos intensos, complexos e muito frescos. Um deleite.

À semelhança dos Sauternes, as uvas usadas para este vinho são da castas Semillon, que são apanhadas tardiamente em Dezembro quando estão muito maduras e atacadas pelo fungo Botrytis Cinerea. Estagiou durante 18 meses em barricas de carvalho francês depois da fermentação ser feita em inox.
Cai no copo com uma cor amarela muito forte, quase laranja.
Aroma intenso e profundo, onde as notas de frutos secos, mel, alperces secos saltam logo para fora do copo. Tem um lado mais austero, com algumas notas mais químicas.
Boca volumosa, larga e muito fresca. Confirma o aroma, com o mel, frutos secos e alperce marcam o palato. Muito longo, doce e muito fresco.

Temos aqui um belo colheita tardia, intenso, volumoso e principalmente muito fresco, o que contrabalança e duçura rica que o vinho tem. Perfeito para acompanhar patés e foie gras e também algumas sobremesas não muito ricas. Por cerca de 15 euros podemos beber um vinho cheio de qualidade. 17.
publicado por allaboutwine às 11:35 | link do post