Segunda-feira, 25.01.10

Crónica do vinho mal-amado

O que leva um consumidor correr atrás de um vinho que foi bem pontuado por algum guru da crítica?
Foi essa a questão que me fiz a mim próprio e que penso ser merecida de algumas palavras numa curta crónica.

Neste imenso mar de vinhos, nacionais e internacionais, fazer o seu vinho sobressair é uma tarefa árdua. Podemos utilizar os profissionais do marketing, com certeza, podemos correr o mundo a dá-lo à prova, este com margem de sucesso mais reduzida, ou podemos ter a sorte de algum crítico ter gostado dele e assim vende-lo como pevides. Pelo menos se o provador for conhecido e referenciado, claro está. Resulta? Claro que resulta! Melhor que gastar o budget em comunicação, sai mais barato e ainda leva o selo de garantia.

Mas e aqueles que eles não gostam? Como ficam eles? Epá, esse não deve valer nada, o Miguel só lhe deu 15. Mas como o Miguel o provou? Claro que no meio dos outros todos, mas coitado deste que tem a insensatez de ser diferente e que não resulta bem se for avaliado como os outros. Pedia um pouco mais de atenção, mas a rigidez dos 30 segundos deixa-o de fora do estrelato, pedia alguma gordura na boca que a bolacha de água e sal não tem, mas ainda era cedo e não acompanha bem uns Clusters.

Onde acaba o nosso vinho? Acaba na mão de quem o mimou e, passados 5 anos, ele presenteia-nos com a sua sabedoria, ainda sem rugas e com a jovialidade de um adolescente com acne.

Conhecem algum vinho assim?
tags:
publicado por allaboutwine às 12:16 | link do post | comentar | ver comentários (4)

Vale D'Algares Selection tinto 2007

Produtor recente da região Tejo com vinhos de muita qualidade e que se está a tornar um caso muito sério no panorama vínico em Portugal. É também a confirmação de que a região tem alto potêncial para vinhos de carácter internacional e podem-no fazer em grande escala. Assim o queiram e possam.

Depois do belo Selection branco, um vinho feito com Viognier e com um perfil novomundista e muito apelativo, chega-nos agora a versão tinta. Claramente um upgrade em relação ao Guarda Rios, que também já me tinha causado muito boa impressão, e que pôe a fasquia muito alta nos próximos vinhos que dali sairem.

Este vinho foi feito com 60% Merlot e 40% Touriga Nacional. Estagiou durante 12 meses em barricas novas de carvalho francês. Pedro Pereira Gonçalves continua à frente da enologia da casa.
Mostra-nos uma cor escura, fechada. Aroma intenso e concentrado, onde aparecem notas florais e vegetais. Abre para algum chocolate preto e ligeira tosta. A fruta está lá, madura e elegante, com cerejas e framboesas. Saltam ainda do copo notas de pimenta preta e de baunilha. Boca bem encorpada e com uma boa acidez. A fruta está mais saliente que no aroma, onde é acompanhada de chocolate e baunilha sobre um fundo floral. Belo final, complexo e muito guloso, dominado pela fruta achocolatada.

Temos aqui um vinho extremamente bem feito. Podemos dizer que o seu perfil é um encontro entre fruta elegante, flores e notas mais adicicadas de especiarias e chocolate. Uma bela complexidade, estrutura forte, boa acidez alevam-no a um patamar alto. 17.
publicado por allaboutwine às 12:08 | link do post | comentar

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

Janeiro 2010

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
16
22
23
27
28
29
30

posts recentes

últ. comentários

  • Olá Miguel,Sou leitor atento do teu blog e não res...
  • Aqui parece que não concordamos. Eu acho este 2007...
  • José Diogo,É realmente um belo porto com um grande...
  • Olá André.Sê vem vindo a esta humilde casa. Fiquei...
  • Também o achei bem austero na abertura. Ao princíp...
  • Oi Miguel, muito de acordo com o teu descritivo, u...
  • interessante.
  • Nesta prova já não concordo assim tanto, pessoalme...
  • Completamente de acordo com esta nota de prova!Ali...
  • Bom dia, estamos a lançar um projecto de blogue de...

Posts mais comentados

arquivos

tags

todas as tags

links

subscrever feeds