Terça-feira, 07.04.09

Herdade da Figueirinha Reserva 2008

Este vinho leva-me a um tema que já foi discutido, tanto nos logs, como nas revistas temáticas, as qualificações. Com tantos vinhos, muitos deles de baixo custo, com as designações Reserva, Escolha, Grande Escolha, Colheita Seleccionada, Escolha de Enologos, como poderemos acreditar que será uma mais valia no acto da compra? Como poderá um vinho que custa pouco mais de 2 euros ser considerado Reserva?
Bem, passamos ao vinho em prova. De Beja e sob enologia de António Saramago, saem os vinhos Herdade da Figuirinha (Reserva e alguns monocastas) e Fonte Mouro (Reserva e Garrafeira). São vinhos com preços muito em conta com o Garrafeira, o mais caro, a custar perto de 15 euros.
Este Reserva branco, com as castas Roupeiro e Antão Vaz e estagiado em inox, apresenta uma cor citrina esbatida. O aroma é pouco intenso e até algo neutro. Notas de fruta tropical com ananás e alguma citrina a lembrar limão. Leve mineral. Boca com corpo mediano e boa acidez, que lhe dá alguma graça. Final curto e ligeiramente acido.
Temos aqui um branco recente, de 2008, onde se nota a juventude aliada a uma boa acidez. Pelo preço não custa nada prova-lo, mas o Reserva...14.
publicado por allaboutwine às 12:53 | link do post | comentar

Yes, we can

Após acesa discussão sobre os blogs, especialmente sobre o papel e importância deles no panorama vínico português, penso que não ficaram dúvidas sobre uma certa atitude ofensiva, rude, superior da critica. No fundo, mostrar quem manda. Aceitámos as criticas que deviamos e repudiamos o que considerámos excessivo. A coisa acalmou.
Voltando ao papel do blogs, e comparando-o com a critica profissional, existe uma diferença muito grande. Nós não dependemos de uma nota menos positiva de um grande vinho e não temos receio de opinarmos de forma negativa sobre um vinho que não gostamos. No fundo o que gere a nossa prova é o nosso gosto pessoal. Os blogs são opiniões pessoais sobre os vinhos, quer gostem quer não. Alguém já vui uma critica de um provador profissional a dizer que não gosta do vinho? Alguém já vui um vinho ser mal pontuado por não gostarem do perfil dele, apesar de a qualidade ser de reconhecimento comum? Eu não vi e ainda bem que não. São jornalistas, são profissionais, alguns de muito bom recorte, e são pagos para informar e não para dar a sua opinião pessoal. Já os blogs podem-no fazer, o que torna a prova a imagem do provador, do bloguer. Porque não poderei dizer que não gosto de certos vinhos que custam os olhos da cara, se ele não me deu prazer nenhum a beber? Se isso não for útil para coisa alguma, ao menos sinto-me bem comigo e não sou mais um.
Existe espaço para todos e penso ser esta a forma mais correcta, funcional e mais saudável de convivermos e viver o vinho.
publicado por allaboutwine às 12:11 | link do post | comentar

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

Abril 2009

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
30

posts recentes

últ. comentários

  • Olá Miguel,Sou leitor atento do teu blog e não res...
  • Aqui parece que não concordamos. Eu acho este 2007...
  • José Diogo,É realmente um belo porto com um grande...
  • Olá André.Sê vem vindo a esta humilde casa. Fiquei...
  • Também o achei bem austero na abertura. Ao princíp...
  • Oi Miguel, muito de acordo com o teu descritivo, u...
  • interessante.
  • Nesta prova já não concordo assim tanto, pessoalme...
  • Completamente de acordo com esta nota de prova!Ali...
  • Bom dia, estamos a lançar um projecto de blogue de...

Posts mais comentados

arquivos

tags

todas as tags

links

subscrever feeds