Sábado, 03.01.09

Quinta de Alcube Trincadeira / Syrah 2006

Segundo me disseram, este produtor, oriundo de Azeitão, só vende vinho à porta da adega. Nunca percebi muito bem esta política, o que é que o produtor ganha com isso. O consumidor é que não ganha, com certeza. E digo isto porque são bons vinhos, que não se encontram no circuito comum, que não conseguimos provar.
O produtor é recente, e dele têm saído bons vinhos, vinhos de perfil moderno, longe dos tradicionais "Castelões" da região. Diga-se verdade, também é raro o produtor (salvo honrosas excepções) da região que faz vinho exclusivamente com a casta Castelão e que sejam reconhecidos no mercado. Tenho a sensação que é uma casta em decadência, mais uma que havemos de ter pena lá mais para a frente.
O vinho em prova foi-me oferecido por um amigo, dizendo que era um dos melhores vinhos que já tinha bebido. Tive de experimentar de seguida, claro. Feito com Trincadeira e Syrah, estagia 10 meses em barricas de carvalho francês e americano e 4 meses em garrafa. Sai da garrafa com uma cor rubi concentrado. O aroma é intenso, com notas balsâmicas e químicas a comandar. Verniz, cera, farmácia. Depois vêm especiarias como baunilha e canela. O fundo é floral, com a fruta a aparecer de forma ligeira a lembrar cerejas e amoras. A boca é encorpada e elegante, boa acidez e taninos generosos mas redondos. Continua, tal como o aroma, muito balsâmica. O lado floral/vegetal é mais intenso. A fruta anda escondida, mas notam-se as amoras e as cerejas. Final longo e muito guloso.
O vinho ainda está muito marcado pela madeira onde estagiou. A fruta aparece algo escondida. Não deixa de mostrar o seu potêncial com a condição de melhorar em garrafa. Já se pode beber, está muito guloso e com argumentos para agradar. 16,5.
publicado por allaboutwine às 11:09 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Conventual 2007

Portalegre, situada no norte Alentejo, onde muitas das suas vinhas estão situadas nas encostas da Serra de São Mamede, impôe aos seus vinhos características diferentes da restante região vinhateira. Os vinhos da sua Adega Cooperariva não são diferentes, são vinhos com frescura e com capacidade de evolução, como por exemplo, o Portalegre, topo de gama da Adega. O Conventual, nome dado com o fim de homenagiar os vários Conventos da região, situa-se na gama média, gama dos 2/3€, gama dos vinho para o dia a dia. O vinho em prova é a versão branca do ano de 2007. Feito com Arinto, Fernão Pires e Roupeiro e com estágio em inox, apresenta uma cor amarelo citrino. O aroma aparece com média intensidade e com muitas notas de fruta citrina a lembrar limão, que está bem acompanhado de ananás de kiwi. Fundo mineral com toques vegetais a rama de tomate. A boca é de médio porte e com boa acidez. Varia entre a fruta citrina e tropical. Fundo vegetal. Bom final de boca, com frescura.
Está um vinho bem feito com um belo preço. Bem agradável na prova, com bons argumentos para ser uma das várias escolhas para o dia a dia. 15.
publicado por allaboutwine às 11:07 | link do post | comentar

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

Janeiro 2009

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
28
29
31

posts recentes

últ. comentários

  • Olá Miguel,Sou leitor atento do teu blog e não res...
  • Aqui parece que não concordamos. Eu acho este 2007...
  • José Diogo,É realmente um belo porto com um grande...
  • Olá André.Sê vem vindo a esta humilde casa. Fiquei...
  • Também o achei bem austero na abertura. Ao princíp...
  • Oi Miguel, muito de acordo com o teu descritivo, u...
  • interessante.
  • Nesta prova já não concordo assim tanto, pessoalme...
  • Completamente de acordo com esta nota de prova!Ali...
  • Bom dia, estamos a lançar um projecto de blogue de...

Posts mais comentados

arquivos

tags

todas as tags

links

subscrever feeds