Porta dos Cavaleiros tinto 2006

“ Nas Caves de S. João
Está um altar
Com o S. João exposto
Pra quem lhe quiser rezar.

Diz a lenda que o santo,
Depois de muito pregar,
Foi ali beber um copo
Prá alma retemperar.

Ao erguer a sua taça
Ele disse com simpatia:
- Nunca bebi melhor vinho,
É uma categoria!

E a todos os presentes
Disse o santo entusiasmado:
- Bebei bem, que igual a este
Não se encontra no mercado.”

Agora viramo-nos para um clássico do Dão, o Porta dos Cavaleiros. Com uma história riquíssima nos vinhos de mesa que percorreu os anos 40 até aos dias de hoje, tendo no entanto atravessado um longo período fora das escolhas dos enófilos portugueses. Marcas como Frei João, Caves São João e Porta dos Cavaleiros faziam a delícia de quem os bebia e ainda hoje muitos deles estão em ótimas condições de consumo e alguns objecto de grande procura e mesmo de colecção. Verdadeiros ícons. Hoje em dia esses vinhos parecem querer voltar à ribalta, voltar às mesas dos portugueses. Em prova temos o Porta dos Cavaleiros 2006, um vinho feito com as castas características do Dão, 40% Touriga Nacional, 25% Alfrocheiro, 25% Aragonês (Tinta Roriz) e 10% Jaen. É engarrafado após estagio em inox e em garrafa. Apresenta uma cor rubi escura. Aroma de boa intensidade com notas balsâmicas a lembrar eucalipto e resinas. A fruta aparece delicada e vermelha, onde nos mostra framboesas e morangos maduros. Fundo floral. A boca é de médio porte e com boa acidez. Permanecem as notas balsâmicas a par de fruta e algum floral de fundo. Final mediano e elegante. Temos aqui um vinho característico do Dão, nota-se bem a sua proveniência, não engana. Um vinho calmo, sem excessos e feito para a mesa. Bom vinho para o dia a dia, um vinho um pouco longe da moda, longe da fruta gulosa mas bem agradável. 15.

publicado por allaboutwine às 11:54 | link do post | comentar