Amantis 2007

Situada a 1Km de Estremoz, a Quinta Dona Maria, também conhecida por Quinta do Carmo, é uma referência vínica em Portugal. Os vinhos Quinta do Carmo, agora marca pertencente ao porfólio de Joe Berardo, eram feitos com esta vinha, em que as vinhas velhas de Alicante Bouschet faziam os saudosos reservas da Quinta do Carmo. Com o regresso de Júlio Bastos aos vinhos, os vinhos da marca Quinta do Carmo passaram a ser feitos com vinhas de outra Quinta. Júlio Bastos, como não podia manter a marca, criou a referência Quinta Dona Maria, que segundo reza a história, era uma cortezã por que o rei João V se apaixonou. A Quinta foi uma oferta do rei á cortezã. A tradição dos vinho feitos nesta Quinta voltou ao seu melhor com as novas marcas Quinta Dona Maria, colheita e reserva, Amantis, e o topo de gama, Júlio B. Bastos, feito com as vinhas velhas de Alicante. A marca Amantis, lançada com o tinto de 2004 é , segundo o produtor, dedicado aos amantes do vinho. Este vinho em prova é a primeira colheita na versão branco. Feito com predominância de Viognier, uma casta que não me é querida, mas que aqui tem uma elegância fora do comum. Cai no copo com uma cor amarela citrina. Boa intensidade aromática com a fruta em primeiro plano. Lembra alguns citrinos como toranja e casca de laranja. Depois vêm as nêsperas, alperces, maças e ananás maduros. Mineral e toque fumado. Boca gorda, espacial, com uma excelente acidez. É marcada pela fruta madura, em especial alperce. Sente-se ainda fumados e um fundo abaunilhado. Final longo e complexo.
Temos aqui um belo branco, o melhor exemplar da casta que provei. Nada de aromas pesadões mas sim elegante e cheio de finesse. O preço também não assusta ninguém, e então para a qualidade que apresenta, é quase dado. 17,5.
publicado por allaboutwine às 04:16 | link do post | comentar