Reguengos Reserva branco 2008

Na incessante procura de boas compras, de vinhos que nos dão prazer a troco de pouco dinheiro, que nos conseguem supreender sem esperar, nada melhor que parar nas adegas cooperativas, em especial no Alentejo. Voltei à CARMIM, em Reguengos, plena região vitivinícola alentejana. Depois de provado o Reserva 2006, virei-me para a versão branca, esta de 2008.
Os solos de onde estas uvas são provenientes são derivados de rochas eruptivas de que se destacam os Quartzo Dioritos, algumas manchas de derivados de Xisto e uma pequena mancha com solos derivados de Rañas. As uvas Arinto e Antão Vaz são colhidas à mão e seguem logo para vinificação. Estagiam parte em inox e outra parte em barricas.
De cor amarelo citrino, apresenta um aroma intenso, inicialmente com notas fumadas e tostadas, partindo depois para a fruta citrina a lembrar limão a par de alguma tropical, com maracujá. Fundo vegetal com toque amendoado. A boca apresenta corpo mediano e com uma bela acidez. Sabores a fruta tropical, algum limão, ligeiro amendoado e mineral. Final comprido e fresco.
Tal como o tinto, este branco tem uma qualidade impressionante para o seu preço, menos de 4 euros. Um vinho que apresenta uma complexidade acima da média, uma bela frescura que lhe dá profundidade e uma bela presença na boca. Quem queira um bom vinho para o dia a dia (e não só) tem aqui uma das melhores escolhas. 16.
publicado por allaboutwine às 12:01 | link do post | comentar