Couteiro-Mor Escolha - branco e tinto 2008

A colheita 2008 dos vinhos Couteiro-Mor trouxe-nos novidades, com a criação da referência Escolha. Após a prova do colheita, aqui, o produtor lança a gama Escolha na versão branco e tinto. As novidades não se ficam por aqui. Além do conceituado Vale de Ancho, foi acrescentada à gama vinhos como o Ouzado e o Couteiro-Mor Grande Escolha, que irão ter prova atenta mais para a frente. Agora centremo-nos na gana Escolha, na versão branco e tinto da colheita de 2008.

Couteiro-Mor Escolha branco 2008


Um vinho de lote, feito com Arinto, Chardonnay, Antão Vaz e Roupeiro.
Tem uma cor amarelo citrino.
Aroma intenso, com muito citrinos, com notas de limão e casaca de laranja. Ligeiras notas meladas. A fruta muda de figura e apresenta-se mais tropical, com notas de manga. Ligeiro vegetal seco.
Boca com bom corpo e boa acidez. É marcada pela fruta, ora citrina, ora tropical, num dueto bem acompanhado por notas de vegetal seco. Com o aumento de temperatura, aparecem notas meladas. Final longo, com ligeira complexidade.
Temos aqui um vinho bem feito, principalmente virado para a fruta. O peso do Chardonnay é muito bem compensado pela frescura do Arinto e fruta do Antão Vaz. Bem conseguido e, principalmente, com um belo preço. 15.

Couteiro-Mor Escolha tinto 2008



Feito com ALicante Bouschet, Trincadeira, Aragonês e Castelão.
Cor rubi escuro.
Aroma intenso, com notas tostadas, na companhia de frutos vermelhos que lembram morangos, framboesas e ameixas. Ligeiro vegetal.
Boca com corpo mediano e boa acidez. Continua muito frutada, com a companhia de ligeiro vegetal. Bom final, frutado e elegante.
Temos aqui um vinho perfeito para o dia a dia. Qualidade, preço, fácil de encontrar no mercado. Uma bela aposta. 15.








Conclusão: São dois vinhos bem feitos, que dão prazer beber e que não envergonham ninguém numa mesa. Por cerca de 3 euros, temos aqui 2 vinhos perfeitos para o dia a dia, com um perfil fácil de gostar, jovem, cosmopolita. É uma escolha mais que certa.
publicado por allaboutwine às 03:42 | link do post | comentar