Couteiro-Mor rosé 2006

A prova deste rosé fez-me pensar quanto tempo aguentará um vinho deste tipo em garrafa, se são vinhos que se portam bem passados 2,3,4 anos após o seu engarrafamento.
Sabemos que são vinhos para serem bebidos jovens, para assim aproveitar todo o explendor da fruta primária e gulosa. Este rosé alentejano de 2006 foi feito com as castas Touriga Nacional e Aragonês e foi vinificado através de bica aberta. A enologia está a cargo de Jorge Páscoa e António Melícias. Vejamos então o estado dele.
Cor tijolo carregada. Aroma intenso, com notas de fruta madura e lembrar morangos e framboesas. Ligeiro floral. Boca de médio porte e boa acidez. Sabor frutado e ligeiramente alcoólico. Final longo, com ponta de álcool.
Temos aqui um vinho que ainda se encontra em boas condições, sem perder a fruta e a frescura. Será preciso atenção à temperatura, já que o álcool encontra-se à espreita. Não guardar por muito mais tempo. 14,5.
publicado por allaboutwine às 14:22 | link do post | comentar