Pelada 2003

Álvaro Castro é um homem do Dão, para muito é o homem do Dão. É reconhecido por todos, que é um dos grandes impulcionadores do renascimento dos vinhos do Dão, após uma longa travessia no deserto. Toda a gente conhece as marcas Pellada e Saes, as duas quintas do produtor, situadas mesmo ao pé da Serra da Estrela. Tem parcerias mais a norte com outro monstro do vinho português, Dirk Niepoort, com que faz o vinho Dado, agora Doda. Há quem diga que os seus vinhos cheiram muito a Touriga Nacional e que têm muita madeira, alíás que parecem uns destilados de carvalho. Eu não concordo, são grandes vinhos, gulosos, mas grandes vinhos que geralmente aguentam uns bons anos (quem não de lembra do Pellada Estágio Prolongado 2000?). Este vinho em causa, o Pelada 2003, que eu saiba é colheita única, é um desses exemplares. Está muito bom para beber agora, mas tem largos anos pela frente. Sai da garrafa com uma cor negra. O nariz é intenso e desde logo mostra-se fresco, nada pesado. Nota florais, acompanhadas de fruta vermelha a lembrar morangos, framboesas e cerejas. Tudo envolvido em baunilha e chocolate de leite. A boca tem bom volume, excelente acidez e taninos redondos. Tem os sabores que encontramos no aroma. Flores, fruta, chocolate e baunilha. Final longo e complexo.
Mais um belo vinho do produtor, complexo, cheio de frescura. São vinhos que aconselho vivamente. Sou grande fã. 17.
publicado por allaboutwine às 05:56 | link do post | comentar