Quinta da Alorna Touriga Nacional 2008

A exportação é cada vez mais o principal objectivo das empresas portuguesas e as empresas produtoras de vinho não fogem à regra. Há muito tempo que o consumo de vinho em Portugal está a diminuir, tal como a capacidade de os adquirir e os produtores têm de escoar a produção, sob pena de ficarem com colheitas atrás de colheitas na adega. Por isso, torna-se urgente exportar os vinhos e há que unir esforços e trabalhar afincadamente.

A Quinta da Alorna é um dos principais players da região Tejo. Com a direcção enológica a cargo de Nuno Cancela de Abreu a empresa deu um salto qualitativo nos seus vinhos. Temos então produtos com qualidade e a preços mais que justos. É uma referência da região.

Este vinho que temos em prova é um vinho feito para exportação, um varietal de Touriga Nacional e com algum estágio em madeira. A Touriga Nacional pode e deve ter um papel importante na conquista dos mercados exteriores. É uma casta com qualidade evidente, diferente das restantes e com enorme potencial. Há que apostar nela, mas com vinhos de qualidade, com vinhos que enalteçam a casta. Foram feitas 10.000 garrafas e "enrolhadas" com rosca metálica (screwcap). Temos assim um vinho com cor escura. Aroma intenso com notas florais que estão acompanhas por fruta, que nos faz lembrar groselhas e morangos. Alguma tosta e ligeiro toque metálico. Boca com bom volume e com acidez mediana. Marcadamente floral, com toque de fruta vermelha e tosta. Final mediano com alusões à casta.

Temos aqui um vinho com um perfil que dificilmente não diríamos que era um Touriga Nacional. Muito floral, com alguma fruta, redondo e com alguma complexidade. Um bom vinho para quem quer explorar e conhecer a casta. Não o veremos por cá, espero que muita gente o veja lá por fora. 15,5.
publicado por allaboutwine às 04:34 | link do post | comentar