S de Soberanas tinto 2004

A Herdade das Soberanas, apesar de estar em pleno Alentejo, pertence à região vitivinícola das Terras do Sado. Aliás, tem todas as características paisagisticas do Alentejo, os montados de sobreiros e azinheiras. Como diz o site do produtor "Os matizes e os aromas característicos de cada estação do ano fazem das Soberanas um local de permanente descoberta. Os dias e as noites marcam a memória e os sentidos de forma indelével. É a expressão da terra na sua forma mais pura, resultado do labor humano e da sintonia com as necessidades, o saber e a intuição dos que diariamente nela trabalham e dela dependem. É também a inigualável magia da planície alentejana." O nome Soberanas vem de uma ribeira que atravessa a Herdade, a Ribeira das Soberana.
Falando do néctar que temos em prova, ele foi prémio de excelência do ano 2007 da Revista de Vinhos, que para primeira colheita deste topo de gama foi uma surpresa, não pela falta de qualidade do vinho mas pela rápida ascenção da marca.
O S de Soberana tem as castas Trincadeira e Alicante Bouschet, o que não admira dada a enologia ser de Paulo Laureano, e estagiou 18 meses em barricas novas de carvalho francês.
Um vinho que saiu para o mercado com um preço de 30 euros.
O vinho sai da garrafa com uma cor muito escura. O aroma é intenso, com muitas notas balsâmicas provenientes do estágio em madeira. Muita cera. A fruta apresenta-se gulosa, com notas de cerejas e ameixas doces. Temos ainda café acabado de moer e um fundo mineral a lembrar minas de lápis. A boca é encorpada e com uma boa acidez. Continua com ama fceta muito balsâmica a par da fruta saborosa e o café fresco. Final longo e com complexidade.
Temos aqui um vinho que faz jus aos prémios que ganhou até à data. Um vinho muito bem feito, guloso, ao melhor estilo do enólogo. A madeira onde estagiou é de muito boa qualidade e isso transmite-se no vinho. A única questão é que é um Terras do Sado mas poderia ser do Alentejo ou de outra região qualquer. É a descaracterização das regiões. Mas isso não interessa. O vinho é muito bom e muito guloso. 17,5.
publicado por allaboutwine às 14:56 | link do post | comentar