A receita by Pingamor

Enquanto provava e bebia o Moscatel da Niepoort refastelado no meu sofá, penso pensava no facto de termos dos melhores generosos do mundo: Porto, Moscatel e Madeira. Pensava que este facto, e por si só, poderia ser a chave do nosso sucesso a nivel intenacional.
Sem querer pôr-me em bicos de pé, mas com a minha liberdade de opinar de peito aberto, pensei na receita para o nosso país em termos vitivinícolas. Porque não fazer uma grande aposta nos vinhos generosos e torná-los o nosso cavalo de batalha? Porque não apostar definitivamente num sector em que somos dos melhores do mundo e não apontar a vários alvos sem quase nunca atingir nunhum?
Eu com isto não quero dizer que não se continue a apostar nos vinhos de mesa e a faze-los cada vez melhor. Mas todos temos consciência que não é um mercado fácil e é extremamente difícil ombrear com os nomes do velho mundo e os preços do novo mundo. Mas será que eles conseguem comparar-se connosco quando falamos de generosos? Eu penso que não.
A minha receita é apostar cada vez mais neste tipo de vinho, já que temos o knowhow e as condições para o fazer e grande parte do caminho já está feito. É só não estragar o que já existe.
publicado por allaboutwine às 06:44 | link do post | comentar